Movimento Pró-Democracia

Nossas lutas: * Conscientização Política da População * Instrução dos Direitos e Deveres do Cidadão * Fiscalização dos Processos Eleitorais

7 de dez de 2010

Classes Sociais e a Segurança no Brasil

A humanidade passa por problemas oriundos da divisão de classes desde a Idade Antiga, é muito fácil percebermos isso no passado: nobres x plebeus, civilizados x selvages/bárbaros, cristãos x hereges e etc. Apesar de serem categorias diferentes, em todos os casos essa oposição é caracterizada também pelo prestígio social e econômico.

Hoje ainda passamos por este tipo de problema e ele esta bem a mostra. A mídia claramente não esta preocupada com a verdade, mas sim com que lhe rende mais. Infelizmente o que mais rende é prejudicial aos membros das camadas baixa da sociedade. Os pobre sempre pagam o pato pelas besteiras feitas, tanto pelo Estado quando pela sociedade.

Não é de hoje, e sim de toda a nossa história, que a corrupção acontece e é controlada por aqueles que detêm o poder, seja ele religioso, econômico, de status social ou controle da violência. O que acredito que nós, civis, não podemos fazer, é acreditar plenamente naquilo que vemos na TV, pois o que importa à mídia é o que vende e para isso há a manipulação do discurso midiático.

Mas então, como burlar essa manipulação? A forma mais simples é buscar por mais de uma fonte de informação e SEMPRE duvidar daquilo que é dito pela mídia. Confirmar a informação é imprescindível para que sejamos realmente bem informados.

O problema da divisão de classes se agrava quando o discurso vendido pela mídia corrobora com preconceitos de classe dos cidadãos que já são mal informados. A má informação vai além da manipulação da mesma, mas também do ocultamento de outras informações. O caso recente da tomada do Complexo do Alemão retrata isso muito bem, concordamos que há situações emergenciais que exigem ações mais diretas, como as que ocorreram nesse caso. Porém há um mito urbado de que este tenha sido o Dia D de combate ao tráfico e que o problema se concentra ali, de que os culpados pela falta de segurança da cidade seja dos traficantes e dos usuários de drogas. Digo mito urbano, pois essa "verdade" não esta pautada na realidade e sim num discurso político proibicista, que gera mais violência na vida dos mais pobres e, para piorar a situação, segrega a população.

Temos que ter consciência de que os verdadeiros culpados não são os usuários de drogas, como irei melhor falar em outro post, nem dos jovens que se entregam ao tráfico. Os grandes culpados são aqueles que CRIAM o financiamento do tráfico, aqueles cabeças que estão no topo da hierarquia do crime, da sociedade que cria marginais, da população que luta pela democracia, educação, saúde, cultura e afins. Também é culpa dos doentes de amnésia que reelegem políticos corruptos (mesmo sabendo que são ficha suja), daqueles que esqueceram em alguns dias a corrupção que opera dentro da polícia e seu corporativismo.

Se somos pessoas que defendem a democracia temos que repensar nossas leis que corroboram com o crime (do mesmo modo que a Lei Seca dos EUA fortaleceram a máfia americana). Temos também que contribuir com a Polícia para que os corruptos sejam demitidos e condenados, assim como melhores condições de trabalho, salário e formação, visto que MUITOS policias vão à rua no seu primeiro dia de trabalho, armados e sem treinamento.

A culpa não é de um único seguimento social como querem nos vender, mas sim de todos nós que de alguma forma corroboram com isso. Desde os juízes até os crackudos.

1 comentários:

Fabíola Mello disse...

Olha eu concordo com vc... penso como conversamos no dia da manifestação, se vc parar pra pensar nos pontos falhos do sistema, vc acaba em um circulo vicioso onde a unica coisa q "nos amarra a tudo isso, ao meu ver é a corrupção, n só governamental, nós mesmos q permitimos nos corromper, com aquele gato em casa, aquele cafezinho do guarda e por aí vai!