Movimento Pró-Democracia

Nossas lutas: * Conscientização Política da População * Instrução dos Direitos e Deveres do Cidadão * Fiscalização dos Processos Eleitorais

19 de fev de 2011

Deputado que 'se lixa' fará parte da Mesa na Câmara


O deputado Sérgio Moraes (PTB-RS), que se tornou conhecido nacionalmente quando afirmou que “se lixava para a opinião pública”, fará parte como suplente da nova Mesa Diretora. Ele foi eleito ontem à noite (1º) ao receber o apoio de 395 deputados, 20 votos a mais, inclusive, que o presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), reconduzido ao cargo.

Sérgio Moraes terá como atribuição substituir nas ausências o novo quarto-secretário, Júlio Delgado (PSB-MG). Entre as principais tarefas da Quarta Secretaria, estão a distribuição e a manutenção dos apartamentos funcionais da Câmara e a concessão do auxílio-moradia para os parlamentares que não moram nos imóveis da Casa.

Esta é a segunda vez nos últimos quatro meses que Sérgio Morais demonstra ser bom de voto depois da polêmica declaração. Em outubro, ele foi reeleito para o segundo mandato consecutivo na Câmara com 97,7 mil votos.

O deputado gaúcho é réu em duas ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF). Sérgio Moraes é acusado de ter cometido crimes de responsabilidade no período em que foi prefeito de Santa Cruz do Sul. Numa das ações, o parecer da Procuradoria-Geral da República é pela condenação.

Ao assumir a presidência do Conselho de Ética, em maio de 2008, o gaúcho desdenhou dos processos a que responde na Justiça. “Serei absolvido em todos. Lá na minha terra, tem um ditado que diz que cão que não tem pulga, ou teve ou vai ter, mesmo que seja pequena”, afirmou Moraes. “Sou ético, sou firme, não me dobro e tenho sete mandatos.”

Meses depois, voltou a causar polêmica ao defender o arquivamento de uma denúncia no Conselho contra o deputado Edmar Moreira (PR-MG), acusado de usar a verba indenizatória com suas empresas de segurança. “Estou me lixando para a opinião pública", afirmou Moraes aos jornalistas. "Até porque parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, mas a gente se reelege."

Fonte : Congresso em Foco

0 comentários: